VI Simpósio do Grupo de Pesquisa Cristianismo e Interpretações abre inscrições

28 de Agosto de 2020


VI Simpósio do Grupo de Pesquisa Cristianismo e Interpretações abre inscrições

Os desafios do fundamentalismo para os estudos bíblicos e teológicos

O VI Simpósio do Grupo de Pesquisa Cristianismo e Interpretações, da Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP, traz como tema para o ano de 2020 “Os desafios do fundamentalismo para os estudos bíblicos e teológicos”. O evento pretende reunir pesquisadores (as) do campo bíblico e teológico e abrir o debate acerca do fundamentalismo, questão pertinente não só para os estudos bíblicos, como também para a Teologia e áreas afins.

O evento será realizado em parceria com o curso de Teologia da Católica do RN. O Simpósio acontecerá nos dias 8 e 9 de outubro de 2020, no formato virtual. As inscrições para comunicadores (as) e participantes serão gratuitas e devem ser realizadas entre os dias 3 de agosto e 15 de setembro, no site do simpósio:

 http://www.unicap.br/ocs/index.php/simpcris/simpcrisxx

PROGRAMAÇÃO:

8 de outubro

18h – abertura do Simpósio, com a presença do professor Antônio Carlos Frizzo, atual presidente da Associação Brasileira de Pesquisa Bíblica (ABIB). Apresentação musical com Karol Menezes

18h30 – conferência: “Os desafios do fundamentalismo para os estudos bíblicos e teológicos”, com a professora Aíla Luzia Pinheiro de Andrade

9 de outubro

10h – Mesa de debate 1: “O lugar de fala no fundamentalismo bíblico”, com Augusto Lívio Nogueira de Morais, Francisco Márcio Bezerra dos Santos, Francisco Cornélio Freire Rodrigues

14h às 16h – Apresentação das comunicações por sessões temáticas (ST)

17h às 18h15 – Mesa de debate 2: “Fundamentalismo e leituras de gênero”, com Alexandre de Jesus dos Prazeres e Odja Barros

18h30 às 19h45 – Mesa de debate 3: “Fundamentalismo e política; fundamentalismo e religião”, com Liniker Henrique Xavier e Luciene Lima Gonçalves

20h – encerramento do Simpósio. Apresentação musical com Kinno Cerqueira

SESSÕES TEMÁTICAS

ST 1 – A mulher no contexto do Novo Testamento

Equipe responsável: Aíla Luzia Pinheiro de Andrade, Liniker Henrique Xavier, Maria Nivaneide de Abreu Lima

Esta sessão temática objetiva promover a reflexão e o debate sobre o papel da mulher no contexto geral do surgimento dos textos do Novo Testamento. Do ponto de vista da atividade missionária, os textos dos Evangelhos dão proeminência à mulher no testemunho da ressurreição de Jesus, mas escritos posteriores seguiram o judaísmo e subordinaram a mulher ao homem. Torna-se necessária uma correta interpretação dos textos bíblicos para que se possa ajudar a reconstruir relações de gênero respeitosas e prevenir práticas de discriminação advindas de uma leitura fundamentalista da bíblia. A sessão temática integrará comunicações que correspondam ao estudo de perícopes envolvendo Jesus e as mulheres; a temas que possam servir de paradigma para as relações de gênero; e a hermenêuticas bíblicas que contenham críticas ao ethos patriarcal.   

ST 2 – Os escritos do Novo Testamento

Equipe responsável: Cláudio Vianney Malzoni, Kinno Alves Cerqueira, Lucileide Cavalcante Silva

Essa sessão temática tem como objetivo trabalhar questões relacionadas com os escritos do Novo Testamento sejam elas de exegese, hermenêutica ou teologia bíblica. Serão selecionadas oito comunicações para apresentação, sendo que será dada prioridade para aquelas que estiveram relacionadas com o tema geral do Simpósio (Os desafios do fundamentalismo para os estudos bíblicos e teológicos).

ST 3 – Fundamentos do fundamentalismo bíblico

Equipe: João Luiz Correia Júnior, Álvaro C. Pestana, José Landes Marinho Soares

É importante buscar os fundamentos, isto é, as premissas que servem de base para se formar conceitos e práticas numa determinada área do conhecimento, procurando entender o contexto histórico em que tais premissas foram elaboradas. Essa é a tarefa deste GT, dentro de um Simpósio que tem como objetivo apresentar estudos sobre os desafios do Fundamentalismo para a pesquisa bíblica e teológica. A partir dessa abordagem, serão selecionadas oito comunicações que tratem criticamente de algum ponto referente ao Fundamentalismo Bíblico, desde suas origens até os dias de hoje, bem como suas implicações teológicas, pastorais e políticas na contemporaneidade.

ST 4 – Narrativas fundamentais e fundamentalismos

Equipe: Rita Maria Gomes, Leila Janaína Pereira da Silva, Luciene Lima Gonçalves

Nessa sessão temático serão aceitas comunicações que abordam temas candentes em nosso tempo, mas condicionados por leituras literais de narrativas presentes, sobretudo, nos blocos
do Pentateuco e dos Livros Históricos. As narrativas mais espetaculares, hoje, são retomadas acriticamente e sem a devida consideração de seu ambiente de origem, de seu gênero literário e da hermenêutica necessária para uma real compreensão e recepção da mensagem teológica dos textos sagrados. Serão selecionadas oito comunicações para a apresentação, tendo como critério básico para a seleção a relação com o tema geral do Simpósio.

ST 5 – O fundamentalismo bíblico e a animação pastoral

Equipe: Augusto Lívio Nogueira de Morais, Francisco Márcio Bezerra dos Santos, Francisco Cornélio Freire Rodrigues

A ação pastoral a partir da Bíblia tem se revelado, na Igreja, uma necessidade cada vez mais essencial e urgente. Nos últimos anos, a reflexão teológica acentuou de tal modo a relação subjacente entre o binômio Bíblia e Animação Pastoral que cunhou a expressão “animação bíblica da pastoral inteira” (VD 73), indicando a Sagrada Escritura como um fermento a levedar toda a ação pastoral eclesial. Entretanto, outro fenômeno tem se apresentado e ameaçado uma sadia vivência pastoral a partir da Bíblia, esse fenômeno é o fundamentalismo. Em vista disso, esta sessão temática quer ser espaço de reflexão para trabalhos que transitem nesses dois campos do saber, “Bíblia” e “Animação Pastoral”, ou na rica interrelação existente entre eles, procurando superar uma perspectiva fundamentalista. Desse modo, esta sessão temática destina-se tanto às pesquisas no campo bíblico, em suas diversas análises e hermenêuticas, quanto aos trabalhos no campo da pastoralidade, a fim de fomentar uma discussão acurada que contribua com a reflexão eclesial acerca de temas tão relevantes, fecundos e atuais.